Sesc SP

Acervo Sesc de Arte

Ao longo de sua existência, o Sesc São Paulo compôs um acervo de obras de arte, produzidas nos mais diversos suportes e técnicas, evidenciando artistas que se destacaram na cena paulistana e brasileira em diferentes períodos. O contato com esta coleção é efetivado diariamente por meio da convivência do público com as obras, distribuídas e instaladas nas unidades da capital, litoral e interior do estado. Preservar e difundir esse acervo corresponde a um dos múltiplos compromissos da instituição com a democratização do acesso à cultura e se concretiza pelo estímulo à sensibilidade e à aprendizagem através do olhar.

Carranca

Hilda F. Ramos e Ismar Ramos

Espécie: Escultura
Material: Madeira de Tamboriu
Dimensões: 230 cm x 420 cm
Número: 77050-7
Registro Fotográfico: Everton Ballardin

Parceiros do Tietê

Sérgio Mauro Romagnolo

Espécie: Pintura
Dimensões: 115 cm x 115 cm
Número: 109539-1
Registro Fotográfico: Everton Ballardin

Sérgio Mauro Romagnolo (São Paulo, São Paulo, 1957). Mais conhecido como Sérgio Romagnolo é escultor, pintor, desenhista, artista intermídia e professor. Estuda no Colégio Iadê, em São Paulo, entre 1976 e 1977. Em 1980, ingressa no curso de artes plásticas da Faculdade de Artes Plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em São Paulo. Entra em contato com a obra de Regina Silveira (1939), Nelson Leirner (1932) e Julio Plaza (1938-2003). Entre 1980 e 1984, é professor nas redes pública e privada de ensino. Leciona pintura na Faap entre 1985 e 1986. Nesse ano, realiza sua primeira exposição individual na Galeria Luisa Strina, em São Paulo. No início da década 1990, passa a dedicar-se à escultura e atua como professor em oficinas e workshops. Participa da Bienal Internacional de São Paulo em 1977, 1983, 1987 e 1991. Em 1999, finaliza o mestrado em artes na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), com a dissertação Esculturas: Rugas e Alegorias e, em 2002, conclui o doutorado em artes na mesma instituição, com a tese O Vazio e o Oco na Escultura. Entre 2000 e 2005, leciona na Faculdade Santa Marcelina, São Paulo e a partir de 2007, na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp).

Sem título

Gerty Eisenberg de Sarue

Espécie: Pintura
Dimensões: 70 cm x 100 cm
Número: 113386-1
Registro Fotográfico: Everton Ballardin

São Paulo narcísico

Hudinilson Urbano Júnior

Espécie: Grafite
Técnica: Grafite sobre azulejo
Dimensões: 310 cm x 147 cm
Número: 172210-7
Registro Fotográfico: Everton Ballardin

Hudinilson Urbano Júnior (São Paulo, SP, 1957 - Idem, 2013). Mais conhecido como Hudinilson Jr, artista multimídia. Inicia seu aprendizado artístico nas sessões de filmes sobre arte exibidos no Museu Lasar Segall no início dos anos 1970. Realiza experiências com xilogravura durante o período colegial e produz fotografias no laboratório do Museu Lasar Segall. Ingressa no colégio técnico do Instituto de Arte e Decoração (Iadê) de São Paulo. Entre 1975 e 1977 cursa artes plásticas na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Trabalha como auxiliar de design gráfico na TV Cultura. Produz arte postal, grafite, e integra com Alex Vallauri (1949-1987) um grupo de grafiteiros. De 1979 a 1982 compõe o grupo 3Nós3, com os artistas Mário Ramiro (1957) e Rafael França (1957-1991), que realiza intervenções na cidade de São Paulo. No mesmo período, faz experiências em xerografia. Ao ser convidado pela Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pesp) a ministrar oficinas de xerografia, participa de cursos técnicos na fabricante de fotocopiadoras, a Xerox do Brasil. Executa a performance Exercício de me ver II (1982), com a máquina xerográfica no Museu de Arte Moderna (MAM/RJ). Realiza as exposições individuais Do Detalhe ao Exercício (1981), na Pesp, e Xerox Action (1983) no Museu de Arte Contemporânea (MAC/USP). Atua como curador de exposições de xerografia na Pesp entre 1982 e 1984. Trabalha como designer gráfico na escola de fotografia Zoom School, do fotógrafo Afonso Roperto (1976-2008). Uma grande mostra de seus trabalhos ocorre na Glasgow International Festival of Contemporary Visual Art, na Escócia, 2014.

S.P. #39 - (Série Antifachada)

Roberto Wolfenson

Espécie: Foto
Técnica: Ampliação feita em lambda de arquivo digital a partir de negativos 8x10
Dimensões: 300 cm x 94 cm
Número: 188698-3
Registro Fotográfico: Everton Ballardin

Roberto Wolfenson (São Paulo, SP, 1954).Mais conhecido como Bob Wolfenson. Do início de sua carreira, aos dezesseis anos de idade, até os dias de hoje, Wolfenson tem trabalhado com diversos gêneros da fotografia. Uma das referências nacionais como retratista, fotógrafo de nus e de moda, Wolfenson transita entre seus projetos artísticos e a publicidade. Suas exposições de maior destaque aconteceram em influentes instituições brasileiras, como o Museu de Arte de São Paulo (MASP), Centro Cultural Maria Antonia, Museu de Arte Brasileira (MAB-FAAP), assim como na Galeria Millan - que o representa desde 2004. Muitas de suas obras fazem parte do acervo de museus e galerias, tais como Itaú Cultural, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC), Museu da Fotografia da Cidade de Curitiba, Zacheta National Gallery of Art (Varsóvia), além de diversas coleções particulares. Trabalhou e trabalha para publicações como: Folha de São Paulo, Veja, Vogue, Elle, S/N, Playboy, Harper’s Bazaar, Marie Claire e Rolling Stone e publicou livros como “Jardim da Luz” (Editora DBA/Companhia das Letras, 1996), “Moda no Brasil por Brasileiros” (Cosac Naify, 2003), “Antifachada-Encadernação Dourada” (Cosac Naify, 2004), “Cinépolis” (Schoeler, 2009), “Apreensões” (Cosac Naify, 2010), “Belvedere” (Cosac Naify, 2013), 24x36 (Schoeler Editions,2013) e “Bob Wolfenson” (Terra Virgem Edições, 2017), além de se apresentar em diversas exposições individuais, como as mostras: “A Caminho Do Mar”, 2007 “Nósoutros”, 2017, na Galeria Millan, ou coletivas como a “Modos de Ver o Brasil“ na Oca-Ibirapuera, um mergulho na coleção do Itaú Cultural, também em 2017. Em 2018 inaugurou a mostra Retratos, com curadoria de Rodrigo Villela, no Espaço Cultural Porto Seguro em São Paulo, aclamada como uma das melhores mostras fotográficas do ano, com grande repercussão de público e crítica, e que traz uma seleção preciosa e histórica de fotografias dos 50 anos de sua carreira.

Cordel

José Paulo Silva Oliveira

Espécie: Escultura
Técnica: Cerâmica/Terracota
Dimensões: L 720 cm, P 15 cm, A 212 cm
Número: 215713-6
Registro Fotográfico: Everton Ballardin